Brasil desgovernado

Lula segue na oposição. Agora ao povo brasileiro

As recentes declarações do Presidente da República, dando conta de que os culpados pelas altas taxas de juros seriam os próprios brasileiros, “incapazes de levantar o traseiro em busca de juros menores”, segundo seu universo semântico vulgar, demonstra duas coisas:

1) Lula está completamente fora da realidade, há tempos não freqüenta bancos nem tem a menor idéia de como funcionam aberturas e transferências de contas ou mesmo a obrigatoriedade imposta pela maioria das empresas de que os trabalhadores recebam seus salários em determinado banco. Além disso, as taxas de juros em todos os bancos giram em torno dos mesmíssimos valores, elevadíssimos e decretados pelo próprio governo!

2) O mais grave: ele está exercendo, como sempre, o papel de oposição, só que agora, como Presidente da República, tornou-se oposição ao povo brasileiro! Os juros estão altos, o desemprego é um desespero, a insegurança é uma calamidade, a violência contra o patrimônio e a pessoa humana campeiam livremente e Lula segue discursando como líder sindical de oposição, desta vez não ao governo, mas ao povo brasileiro!

Pelas dobras de seu discurso percebe-se não apenas um completo descolamento da realidade, mas a convicção de que seu governo está fazendo “tudo certo” e o que acontece de errado (juros e impostos elevados, desemprego, insegurança, salários aviltados, etc.) é culpa dos brasileiros!

Como se não bastasse, declara que as mais altas taxas de juros do mundo (elevadas justamente para reduzir o ritmo da economia) em nada afetam o crescimento econômico! Informa que há dinheiro sobrando em circulação no Brasil e não são as taxas de juros que o estão impedindo.

“Comam brioches!”

As atitudes e discursos de Lula lembram Maria Antonieta que, às vésperas da deflagração da Revolução Francesa recebeu uma notícia: “majestade, o povo não tem pão!”. E ela: “que comam brioches!”

O delírio presidencial vislumbra somente o seu horizonte pequenininho: cercado de luxo, conforto, bajuladores e manipuladores de diversos matizes, não governa e, se nos recordarmos bem, nem se propôs a governar o Brasil. Ele se apresentou como uma espécie de Chefe de Estado e não de Governo, que ficaria ao encargo dos “iluminados” do PT e aliados.

Lula exerce o cargo de chefe de Estado cercado de corruptos e incompetentes que se incumbem da chefia do governo, aproxima-se da tirania e demonstra completo despreparo para o cargo a que se candidatou em 2002! Teve como principal plataforma política a “mudança” e não a realizou. Pior: eleito contra as práticas nefastas da Era Maldita do tucanato, as aprofunda seguindo o que chamam de ortodoxia e reduz os brasileiros a órfãos arrependidos de eleger um cidadão com total despreparo para o exercício do cargo máximo da República Brasileira...

Impressionante como seu processo de deterioração mental avança célere: quando discursa, particularmente “de improviso”, profere impropérios, impropriedades, vulgaridades e grosserias em tom cada vez mais elevado e furibundo em defesa de seu governo, em oposição ao povo que o elegeu...

Empréstimos com desconto em folha a aposentados: uma tragédia anunciada

Proibido pelos verdadeiros governantes do Brasil (Meirelles e Palocci) de fazer um mínimo que seja para melhorar o poder aquisitivo da população, Lula agora se vê face a uma série de reivindicações – justíssimas – de militares, funcionários públicos, de educação, saúde e outros tantos – em busca de melhores salários e condições de trabalho e só consegue responder com uma coisa ridícula engendrada nos porões do poder entre risos de chacota: o “Microcrédito com desconto em folha”.

Abro aqui um parêntese: pelo menos dois militares da ativa cometeram suicídio na semana que passou por não encontrar alternativas existenciais aos salários miseráveis que o governo lhes paga. Tal jamais havia acontecido neste país!

Quanto ao empréstimo, o aposentado ou o pensionista se dirige a uma agência bancária credenciada apresentando o seu holerite miserável e, assim, consegue levantar algum recurso para empregar como melhor lhe aprouver. Para quitar passará de um a dois anos recebendo seu salário ainda mais reduzido, pois o empréstimo virá descontado em folha, com os juros de praxe. Isso é um crime!

Empréstimo a juros não é melhoria de vida para ninguém, presidente, é um enforcamento!
Ministros de Lula, a exemplo de seu chefe, fazem pouco caso do Parlamento

Convidados a explicar suas atuações frente ao Banco Central do Brasil e ao INSS, Henrique Meirelles e Romero Jucá se recusam sistematicamente a comparecer ao Congresso Nacional sob as mais estapafúrdias desculpas. Fica parecendo que não têm o que dizer, que não há como se defenderem e, portanto, preferem fazê-lo frente ao Supremo Tribunal Federal, que supõem – talvez com razão – mais dócil ao governo, mais cordato aos desmandos e ilegalidades praticadas pelo poder Executivo...

***

Com todo o respeito, amável leitor, em sua opinião, Lula deve reduzir as taxas de juros usando a cabeça e seu poder de Presidente da República ou o traseiro dos brasileiros?

Ganha uma viagem a Havana quem conseguir uma foto de Lula trabalhando em seu gabinete no Planalto. Há tempos ele só é visto – quando em suas raras passagens pelo Brasil, entre uma viagem e outra – protagonizando factóides, plantando coqueiros, cavoucando solos inférteis e proferindo discursos absurdos.

 

Lázaro Curvêlo Chaves - sociólogo
Mantenedor da página “Cultura Brasileira”
www.culturabrasil.org

 




© Copyright libertad-digital.com





Development Services Network Presence
www.catalanhost.com