Ainda os traseiros

 

Primeiro, Lula tenta eximir o seu governo (?) da responsabilidade pelas mais elevadas taxas de juros do mundo reclamando que o brasileiro se mostra “incapaz de levantar o traseiro do banco para buscar um banco mais barato”, como se isso existisse no Brasil.

Em seu delírio, o governo não erra. Se erros ocorrem, a culpa é do povo.


A condessa da guerra

A Secretária Condoleezza Rice, plenipotenciária da belicosidade estadunidense foi recebida em Planalto com tapete vermelho e muito salamaleque. Houve até uma “retificação” de uma declaração presidencial segundo a qual o assunto “ALCA” havia sido retirado da pauta.

Constrangidíssimo em frente à poderosa e negra (segundo a cartilha do “Politicamente Correto” da Secretaria de Direitos Humanos não se pode chamá-la de preta, confira aqui ) representante do Império, o chanceler Celso Amorim “explicou” que “só saiu da pauta da imprensa”, que continua sim na pauta das prioridades presidenciais desmentindo Lula, suas promessas de campanha (“Contra a ALCA e o FMI”) e toda a sua trajetória política.

Em sua visita, elogiou o papel que o Brasil vem desempenhando na ocupação do Haiti e aproveitou ainda para solidarizar-se com Lúcio Gutierrez, que foi deposto da presidência do Equador justamente por se eleger com uma plataforma de esquerda e fazer um governo de direita. Não por acaso obteve imediato asilo no Brasil.

A condessa insistiu ainda na necessidade de se “lulalizar” Hugo Chavez, que já compara o capetalismo ao conde Drácula. Para o Império Ianque é fundamental domesticar Hugo Chavez, removê-lo do poder ou matá-lo. Primeiro estão tentando fazer o que já foi feito por aqui: “lulalizar” o dirigente venezuelano.

José Dirceu, fazendo o papel de moleque de recados da condessa, buscou um ponto de diálogo, tentou mais uma vez “lulalizar” Chavez que, muito puto da vida, falou para os quatro ventos: capetalismo não! Dirceu voltou com o rabo entre as pernas...

O governo Bush não se cansa de elogiar a administração de Lula no Brasil. O PT vem cumprindo escrupulosamente o seu papel de liderança e exemplo na aplicação da subserviência ao neoliberalismo em nosso subcontinente, o que inclusive tem custado dificuldades em nossas relações diplomáticas com a Argentina, pois que esta tem se mostrado um tantinho mais altaneira frente ao Império.

Entre os elogios o alcance do superávit de 6% do PIB (o FMI exigia meros 4,5%...) que se destinam à ciranda financeira, ao capital especulativo internacional que, em última análise, é quem dá as cartas por aqui. Sempre é bom lembrar que este dinheiro sai de nossos impostos para tornar ainda mais encorpado o patrimônio dos banqueiros é desviado da saúde, da educação, dos salários, das estradas, da segurança, da infraestrutura nacional...

Tudo pelo capital, para o social, muita propaganda, muita pirotecnia e gastos incomensuráveis (aos nossos bolsos!) para que vejamos um Brasil dando certo, mas só na propaganda mesmo.


“Um bom exemplo: tudo começa aí”

Este é o novo slogan da campanha publicitária pela qual pagaremos caríssimo. Depois da campanha da auto-estima (“o melhor do Brasil é o brasileiro”) vem essa do exemplo.

Fica a questão: quais são os exemplos que o governo nos dá mesmo?

José Dirceu, Ministro da Casa Civil, até hoje não explicou bem o seu envolvimento com os contraventores através de seu lugar-tenente Waldomiro Diniz.

Luiz Gushiken, Ministro Chefe da Secretaria de Comunicação Social busca de todas as formas distorcer a realidade, relativizar a democracia e criar freios à liberdade de expressão.

Romero Jucá, Ministro da Previdência, é acusado de fraudar a Previdência, desviar recursos públicos e cometer fraude eleitoral.

Henrique Meirelles, ministro-presidente do Banco Central é acusado de Sonegar Imposto de Renda, cometer falsidade ideológica, desviar recursos ao exterior e cometer fraude eleitoral.

Ricardo Berzoini, quando no ministério da previdência, agrediu o Estatuto do Idoso ao obrigar todas as pessoas com mais de 90 anos a provar que ainda estavam vivas. No Ministério do Trabalho propõe uma reforma trabalhista e sindical que retira direitos consolidados dos trabalhadores em mais de 60 anos de luta.

Humberto Costa sucateou o ministério da saúde, promoveu uma pirotecnia no Rio de Janeiro, condenada por unanimidade pelo STF e tem gasto mais dinheiro em viagens que em medicamentos.

Duda Mendonça, plenipotenciário da propaganda governamental, preso em flagrante por Crime Ambiental ("maus-tratos contra animais silvestres ou exóticos"), Formação de Quadrilha ou Bando e Apologia ao Crime, segue firme no cargo e o delegado que cumpriu com o seu dever autuando-o já sofreu mais de cinco punições entre transferências e sindicâncias.

Todos – deixe-me repetir para que fique bem claro – TODOS os ministros da alta cúpula petista praticam o nepotismo descaradamente.

Se estes são os “bons exemplos” que o governo dá aos brasileiros estamos perdidos!


E os salários?

Enquanto os militares esperam deitados em berço esplêndido pela decantada “sensibilidade” presidencial, o funcionalismo civil se prepara para dar um merecido chute no traseiro de Lula. Já está marcado um Dia Nacional de Lutas e Paralisações, o 18 de maio. Reivindicações e propostas: justiça salarial, distanciamento do sindicalismo pelego da CUT e protestos vigorosos contra as reformas Sindical e Trabalhista.


Por falar em traseiros...

Se levantar o traseiro faz baixar os juros, Carla Perez para o Banco Central já!

 

Lázaro Curvêlo Chaves – 05/05/2005






© Copyright libertad-digital.com





Development Services Network Presence
www.catalanhost.com