A Verdade Está em Marcha

 

Provas testemunhais são tão válidas como provas materiais, embora na prática se consagre o contrário.

Depois que Roberto Jefferson deu sua primeira entrevista-bomba para a Folha de S. Paulo denunciando – sem apresentar provas materiais – o esquema do mensalão, uma gama enorme de circunstâncias que tenderíamos a chamar de coincidências tem se sucedido:

_ um deputado viu um homem de terno exibindo alegremente uma valise cheia de cédulas de R$ 100,00 e R$ 50,00 no “Salão Verde” da Câmara, a alguns deputados.

_ a secretária do sujeito que Jefferson denuncia como “operador do mensalão” confirma sua história.

_ o Conselho de Controle das Atividades Financeiras (Coaf), confirma retiradas monumentais de dinheiro em espécie das contas correntes das empresas de Marcos Valério – o suspeito de ser o operador do esquema – em datas coincidentes com suas viagens a Brasília e agendamentos com líderes petistas.

_ a deputada licenciada Raquel Teixeira (PSDB – GO) confirma que foi procurada pelo deputado Sandro Mabel, (PL – GO) e recebeu dele a proposta de se transferir de partido em troca de um montante considerável em “luvas” mais um mensalão que estava sendo negociado para aumentar de R$ 30.000,00 para R$ 60.000,00. Mabel, naturalmente, nega e a deputada exige uma acareação com ele.

_ uma secretária da Casa Civil confirma os encontros freqüentes entre líderes petistas no Palácio do Planalto, praticamente corroborando a tese da “salinha” denunciada por Jefferson.

Em síntese, as coisas vão se encaixando e, mesmo sem uma prova física, material, o fato concreto do mensalão está provado. A verdade está em marcha e nada a deterá!


A política e o esgoto

O encaminhamento político partidário brasileiro nunca foi sequer remotamente ético. Mas o nível de esgoto em que o PT enfiou todo o processo é inédito. E logo o PT, que passou 23 dos seus 25 anos de idade defendendo a ética, concitando a implantação de CPI's e buscando investigar tudo o que se apresentasse como remotamente suspeito.

No poder o discurso segue similar, mas a prática – critério último e único da Verdade – girou 180º: hoje o PT faz tudo para dificultar investigações, sepultar CPI's e é suspeito do mais ousado esquema de corrupção da história republicana deste país.


Plebiscito sobre o desarmamento

Essa história parte da premissa errônea de que as pessoas que praticam crimes violentos assistem programas televisivos, lêem jornais e se sensibilizam com campanhas governamentais.

Outra premissa errada informa que, numa sociedade com um número menor de pessoas armadas a violência seria correspondentemente menor. Exemplifico o contraditório desta premissa com o exemplo de Cuba, país que determina o uso de armas por parte de todos os cidadãos maiores de idade, havendo inclusive subsídios governamentais para a aquisição de armas para defesa pessoal – cabe rememorar que Cuba vive sob constante ameaça do demônio do Norte e é, depois da Suíça, o segundo país com menor número de ocorrência de violências contra a pessoa no mundo!

Pessoalmente, já fui campeão de tiro e sei manusear armamentos; tive sólida formação militar. Mas já não acredito na violência como forma de se resolver os problemas humanos. A gente amadurece...

No Brasil, quem não comparece à Sessão Eleitoral de acordo com o que o governo obriga, perde seus direitos políticos e fica incapacitado de exercer a plenitude de sua cidadania. Somos obrigados a votar num país que se auto-proclama democrático...

Dito isto, se este Congresso cheio de deputados e senadores envolvidos em escândalos os mais diversos na gestão de recursos públicos, decidir que teremos de ir em Outubro próximo decidir se as pessoas honradas devem desarmar-se ou não, meu voto será não . Não sendo obrigatório, nem mesmo participaria desta farsa.

As Forças Armadas e as polícias (Federal e Estaduais) deveriam, isso sim, armar-se melhor e desarmar os criminosos antes de tomar a iniciativa de montar uma rede de propaganda caríssima (para todos nós) tentando provar que o grande foco da violência está nas armas que os cidadãos honestos guardam em suas casas.

Pode ser paranóia, mas em todos os países em que se promoveu o desarmamento da população civil, chegou-se a uma ditadura de corte fascista. Definitivamente não é o que queremos para o Brasil.

Na raiz? Precisamos de melhores escolas e creches e melhores chances para os jovens no mercado de trabalho. Precisamos romper com esta política econômica fundada no pensamento unidimensional voltado ao escoamento de todas as divisas nacionais ao capital financeiro internacional. Precisamos, enfim, perder o recorde de país com maior desigualdade social do planeta Terra. Aí sim, é que se combatem os crimes e a violência: preventivamente. Enquanto as coisas estiverem como estão, o Brasil será um grande criadouro de criminosos e uma gigantesca fábrica de presídios com direito ao aprisionamento de pessoas de bem em suas próprias casas, blindadas contra a invasão dos desesperados desta terra...

De bois e fazendas...

Os bois que o publicitário Marcos Valério comprou com as quantias milionárias sacadas em espécie na boca do caixa do Banco Rural, em Belo Horizonte acabam de ser encontrados nas fazendas do ministro Romero Jucá.

(Jucá ofereceu sete fazendas inexistentes para garantir empréstimos bancários...)

 

 

Lázaro Curvêlo Chaves - 01/07/2005






© Copyright libertad-digital.com





Development Services Network Presence
www.catalanhost.com