Investigações em curso

 

Mais uma semana agitada no cenário político nacional. Instalada a CPMI dos Correios e em andamento os procedimentos do Conselho de Ética da Câmara em função das denúncias do deputado Roberto Jefferson. Definida para agosto o início dos trabalhos da CPMI dos Bingos, decidida pelo STF movido por uma ação do PFL e do PSDB.

O troféu de cinismo da semana fica mesmo com o empresário Marcos Valério que, se não tivesse obtido um habeas corpus preventivo na véspera, sairia daquela salinha algemado ou usando uma camisa-de-força...

Em algumas pessoas o órgão que permite falar a verdade não funciona direito e este é um caso. Foi evasivo, entrou em diversas contradições, recusou-se a dizer onde “aplicou” o volume enorme de recursos que movimentou, sempre nos dias próximos a votações de interesse do governo Lula no Congresso, alegou que sua relação com o ex-Procurador da Fazenda Nacional Glênio Carvalho restringe-se ao gosto de ambos por corridas de cavalos, mas não explicou seus encontros com um funcionário público em horários de expediente nem os motivos que o levaram a premiar um amigo de cavalhadas que, coincidentemente, tinha poderes para aprofundar investigações sobre a vida econômica das pessoas com quase 1 milhão de reais... Em síntese, este cidadão terá realmente muito a explicar à Justiça.


Imprensa na frente dos políticos

Alguém já disse que a Imprensa é uma espécie de “Quarto Poder”. Fato é que, por mais que se esforcem os senhores parlamentares – uns para investigar, outros para abafar – a Imprensa corre sempre na frente e, ao levantar episódios, para dizer o mínimo, pouco abonadores de pessoas como Delúbio Soares, Sílvio Pereira, José Genoíno e Luiz Gushiken, levou os dois primeiros a renunciar e os dois últimos à marca do pênalti.

Programas televisivos, artigos jornalísticos e revistas semanais mal dão conta de processar tantas informações em tantas ocasiões e com tamanha velocidade. É a vertigem da modernidade. Rendo aqui, mais uma vez, o meu tributo ao Blog do Ricardo Noblat que é quem tem dado melhor e mais ágil cobertura a todos estes episódios.


Fatos esparsos e opiniões idem

Genoíno diz que “assinou sem ver” um contrato milionário. Há quem acredite.

As denúncias de Roberto Jefferson vêm se comprovando dia a dia: mensalão, a bancada do PT com um medo pânico de que se quebrem os sigilos bancários de seus epígonos e parlamentares, por que será? Penso como a Senadora Heloísa Helena neste ponto: todos os políticos deveriam ter suas contas expostas ao público permanentemente – o que se chama hoje de “quebra de sigilo bancário, fiscal e telefônico” – a fim de que os eleitores possam conferir se seus delegados estão trabalhando direitinho.

A resistência sistemática e peremptória do PT contra a quebra destes sigilos leva para um partido que já foi ético ainda mais suspeitas. Nota de Roberto Jefferson à CPMI dos Correios às 16h do dia 7 passado informa que a Senadora Ideli Salvati (PT – SC) era uma das operadoras do esquema do mensalão. Responsável pela distribuição do mensalão a ela repassado por Delúbio Soares e Marcos Valério. A Senadora, naturalmente, nega. Protesta histericamente e se nega com ainda maior ênfase – aparentando estar aterrorizada, aliás – a ter o seu sigilo (bancário, fiscal e telefônico) quebrado... Minutos depois a assessoria de Jefferson informa que não acusa diretamente a Senadora (nem a isenta), mas sim à Executiva do PT.

Ainda não investigaram os saques de Marcos Valério no Banco do Brasil – os do Banco Rural se comprovaram, conforme denúncia de Roberto Jefferson e os números apavoram: aproxima-se a 1 Bilhão de Reais! – e tampouco chegaram aos famosos “Fundos de Pensão” que, ainda segundo Jefferson, “é que está o grosso da corrupção neste governo”.

Assembléia Nacional Constituinte

Nosso país está precisando ser passado a limpo. E isto há muito, muito tempo! Pensávamos que esta seria uma oportunidade. O PT era uma esperança, mas optou por se desfazer de seu programa e enlamear a bandeira da ética aos 23 anos de idade. Por favor, não me venham a dizer que, pelo simples fato de o Partido (dito) dos Trabalhadores estar fazendo 25 anos tenha se mantido ético e coerente por todo este quarto de século! Os últimos dois anos e pouco marcam claramente uma ruptura que transforma o PT num partido tão venal e corrupto quanto a maioria. Esforçaram-se tanto que conseguiram perder sua aura.

Uma esperança para nós, insisto, é elegermos em 2006 um grupo completamente novo de Parlamentares, a eles delegando claramente poderes constituintes. Precisamos de uma nova Constituição, garantindo direitos individuais e coletivos, valorizando mais a vida humana que o Capital como o faz a Constituição vigente.

Acredito firmemente que, com uma Assembléia Nacional Constituinte soberana poderemos, após a ultrapassagem de toda esta crise, chegar a maiores conquistas democráticas.


Governo Lula: governo das Elites

Alguns dirigentes petistas, como Delúbio Soares deliram dizendo coisas como “há um complô das elites para derrubar o governo Lula!”. Uai! Mas o Lula está governando há quase três anos justamente para as elites, que interesse teriam elas em desestabilizá-lo, fosse pelo que fosse? Só o Banco Itaú bateu todos os recordes de lucratividade no ano que passou chegando próximo à marca do R$ 4 Bilhões. Isso “oficialmente”... Lembro aqui Berthold Brecht: “o que é um mero roubo a banco comparado com a fundação de um?”

Desde o “governo de transição”, quando PSDB e PT pareciam em Lua-de-Mel em fins de 2002, organizou-se um governo fundamentado no pensamento econômico unidimensional hegemônico, ou seja, “manter elevados superávits primários, buscar reduzir o risco-brasil, manter a inflação sob controle a qualquer custo social e privilegiar o capital especulativo internacional”.

Que raios de interesse estas elites teriam em “conspirar” contra um governo que é delas, com elas e para elas tem governado?

O “maior programa social do mundo”, que Frei Betto chegou a considerar milagre maior que o de Jesus Cristo que somente multiplicou pães e peixes, o “Fome Zero”, ficou só no zero mesmo, quase zerando a mesa dos brasileiros e espraiando a corrupção pelo país afora através de tickets distribuídos em troca de votos e favores, naufraga melancolicamente e o brasileiro médio está hoje muitíssimo mais empobrecido do que antes do governo Lula, o governo das elites, começar.

Direto ao ponto: nunca antes neste país se governou tão bem para as elites e se relegou os assalariados a maior penúria. Uma desilusão muito séria, um brutal desserviço à democracia e um estrago de proporções calamitosas para a noção de “esquerda” em nosso país. Este o saldo do governo Lula até o momento. Temo que coisa muito pior esteja ainda por vir...

Fato é que as próprias elites estão se organizando para garantir que o governo Lula chegue – estropiado, que seja, mas chegue – a seu final. O maior pavor das elites é a ocorrência de uma ruptura institucional como aconteceu com o governo De la Rua que, na Argentina, após ver-se engolfado em denúncias de corrupção optou por um aperto econômico exatamente voltado a chegar a um “déficit zero” e, com isso, sequer conseguiu concluir seu mandato.


O verdadeiro complô

A serem confirmadas as denúncias, ou seja, de que os senhores José Dirceu, José Genoíno, Delúbio Soares, Marcos Valério, Sílvio Pereira, Marcelo Sereno, José Mentor e a senhora Ideli Salvati, entre outros, operavam solidariamente o esquema do mensalão e se organizaram para articular uma série de procedimentos que se caracterizariam como “associarem-se mais de três pessoas para o fim de cometer crimes”, terão de responder na Justiça por incursão no Artigo 288 do Código Penal Brasileiro: formação de quadrilha ou bando.

Ou não. Este é o país do “abafa” e tudo pode acontecer, inclusive nada...

 

 

Lázaro Curvêlo Chaves - 07/07/2005

 

 




© Copyright libertad-digital.com





Development Services Network Presence
www.catalanhost.com