Comparações Infelizes

 

Lula e Juscelino

JK – em que pese o fato de haver lidado com uma oposição ferrenha das elites – foi um empreendedor e realizador da melhor de todas as cepas brasileiras.

Construiu Brasília, fundou a FNM (“Fenêmê”), criou rodovias e estradas, fábricas e o país avançou 50 anos em 5. Deu demonstrações de nacionalismo absolutamente inquestionáveis, a ponto de granjear a oposição do venal Carlos Lacerda.

Lula, que governa com e para as elites, ousa comparar-se com Juscelino Kubitschek. O mesmo Lula que não assentou um único moirão de cerca desde o início do mandato compara-se com o criador de Brasília... Quantos anos retrocedemos nestes quase três de Lula?

A Família de Juscelino, ciente da afronta, respondeu de imediato: “Juscelino era paciente, mas era também trabalhador”.

Equivoca-se ainda ao proferir bravatas dizendo que Juscelino só obteve reconhecimento pós morte. Mentira deslavada. Tinha uma enorme legião de admiradores – e com justo motivo. Sua oposição, ao contrário do que ocorre com Lula, era composta pela elite...


Lula e Vargas

Ousa comparar-se com Getúlio Vargas, que enfrentou o Eixo Nazi-Fascista, os EUA e as elites nacionais criando e mantendo o salário mínimo em valores honrados além de haver sido o responsável pela melhor legislação trabalhista (ainda não é a ideal) que este país já teve. O mesmo Lula que reduz salários mínimos, penaliza aposentados e pensionistas, fecha postos da Justiça do Trabalho e propõe um recuo na legislação trabalhista ousa comparar-se com Getúlio Dornelles Vargas!

Disse que não vai cometer suicídio, o que é lamentável, mas se equivoca monstruosamente ao “ler” os motivos do suicídio de Vargas. Não foi por estar envolto em qualquer tipo de esquema de corrupção – menos que tudo como este criado por Lula – mas foi um cálculo político muito bem feito: com um tiro no peito em agosto de 1954, Vargas matou a oposição e retardou o Golpe Militar em 10 anos. Foi, ao contrário de Lula, um bem para o Brasil.


Lula e Jango

Sobre João Belchior Marques Goulart, Lula foi menos incisivo e disse, textualmente, que “não irá renunciar, como Jango”. Mesmo como ato falho isso seria imperdoável. Mas ele repetiu que “Jango renunciou” em três ocasiões diferentes.

João Goulart NÃO renunciou, ele foi deposto pelos militares no dia 1º de abril de 1964 . Lula – que consta haver “lutado” contra a ditadura militar – deveria saber disso. Ou sua assessoria.

Já não basta a Lula fazer bobagens e cometer crimes? Ainda temos de suportar um presidente que deseduca nossos jovens cometendo verdadeiros crimes também contra o vernáculo?


Sugestões

Lula da Silva pode e deve sim, comparar-se a alguns personagens da história do Brasil, como por exemplo Joaquim Silvério dos Reis, que traiu a rebelião em Minas Gerais atrasando a independência do Brasil. Lula pode se compara ainda a Domingos Calabar, que traiu os brasileiros quando da ocupação holandesa do Nordeste. Pode comparar-se a Collor de Mello, para ficarmos na esfera dos presidentes da república. A grande diferença é que Collor de Mello passa tão longe de tanta e tamanha corrupção que se transforma num molequinho malvado comparado com este aí que está entregando a riqueza nacional para os grandes conglomerados financeiros.

Que Lula tenha o direito de se defender, ninguém nega! Mas que o faça com fatos e dados históricos reais, concretos. Que convoque a imprensa a uma coletiva livre como a que deu o também corrupto e também entreguista Antônio Palocci. Mas que pare de gastar dinheiro dos nossos impostos juntando punhados de gente – remunerada – em rincões isolados do Brasil para inaugurar besteiras e proferir bravatas agredindo o vernáculo e a inteligência de nosso povo.

Lázaro Curvêlo Chaves – 01/09/2005

 

 




© Copyright libertad-digital.com





Development Services Network Presence
www.catalanhost.com