Severino cai-não-cai

 

“Era uma vez um povo bom e amigo que acreditava em papai Noel.
Só tarde demais descobriram que Papai Noel era o Diabo”
Günther Grass – O Tambor

A descoberta de um antigo esquema de propina ligado a um restaurante da Câmara, que já recebeu o apelido de “mensalinho”, deixa em maus lençóis o principal aliado do governo Lula na Câmara, aquele que, potencialmente, tem meios de conter um eventual processo de Impeachment.

Severino terá de explicar direitinho ao Conselho de Ética da Câmara como é essa história. Explicar e convencer. Ou corre o risco de perder o mandato.

O Partido (dito) dos Trabalhadores hoje depende de um dos mais tradicionais e reconhecidos corruptos brasileiros para a defesa de Lula da Silva. A que nível desceram...


O Tambor

Há anos li “Die Blechtrommel” – O Tambor – de Günther Grass. Epigrafa o livro como eu o faço acima. É a história de um menino que, vendo a loucura em que vivem os adultos se decide a permanecer com 3 anos de idade durante toda a sua vida. E é com a epígrafe citada que ele se refere a Adolf Hitler.

Todas as semanas recebo mensagens – com erros ortográficos e gramaticais gritantes – ameaçando a mim e minha família de represálias se não retirar minha página do ar. Já registrei a queixa devidamente, mas, como eu, as autoridades competentes pensam tratar-se de tentativa intimidatória vazia. Pelo sim, pelo não...

De uma média de 200 mensagens por dia, cerca de 10 defendem o Lula (estas normalmente vêm com os mais gritantes erros ortográficos, gramaticais e históricos, por sinal). Todas as outras elogiam o trabalho de ofertar cursos de história do Brasil, história Geral, Filosofia e Sociologia gratuitamente. É reconfortante. Mais seria se algo me rendesse em termos pecuniários, claro está. Sigo tentando.

Detenho-me aqui na turma do tambor. Como é possível que não hajam percebido ainda que o governo Lula é um governo nitidamente conservador, corrupto e de direita? De onde tiram a idéia de que haveria um “complô das elites” para derrubá-lo? Se as elites nunca lucraram tanto antes, por que desejariam a sua saída. Aliás, tirando nós da extrema esquerda, todos os grupos partidários conservadores, do PT ao PSDB, querem a permanência de Lula no poder até o final de seu mandato. Particularmente porque ele repete ad nauseam que “não haverá modificação na política econômica deste governo”, ou seja, os banqueiros e grandes especuladores internacionais nada têm a temer.

Na campanha, Lula se comprometeu ambiguamente a governar para o povo mas também se comprometeu a governar contra o povo. Cumpre metade da promessa: governa com o grande capital, relegando-nos a uma penúria jamais dantes vislumbrada.


Cherchez la femme ou l’argent(*)

Esse o mote de toda a investigação. Mote que sequer foi cogitado quando as investigações das CPI's instaladas começaram. Já se arrolaram 18 parlamentares para cassação – por algum motivo que não se explica, resolveram livrar a cara do Eduardo Azeredo – e há a esperança de que também Severino Cavalcanti, excrecência purulenta que contamina a Câmara, venha a ser cassado.

Segundo o relatório preliminar (ainda não se chegou ao relatório final, é bom lembrar!) os parlamentares citados comprovadamente recebiam propina. Como as duas CPI's – a dos Correios e a do Mensalão – são “chapa branca”, não se cogitou nem de longe questionar “de onde vem o dinheiro?” É muito dinheiro circulando para cima e para baixo em malas e cuecas. Dinheiro público e dinheiro sujo. Aquele das cuecas, então, duplamente sujo!

As CPI's se recusam a averiguar de onde vem o dinheiro pois todas as setas apontam na direção de Lula e todos os políticos conservadores querem que ele continue no poder até o final de seu mandato. Temem José Alencar – talvez com razão, talvez não – e temem mais ainda Severino Cavalcanti. O presidente do STF, Nélson Jobim, próximo na linha sucessória, já deixou claro, desde a taxação dos inativos, que tomará decisões mais fundamentadas na conjuntura política do que na legislação brasileira em vigor.

Estamos mal de representantes...

Lula, desde que assumiu o poder, discursa numa direção e governa em outra. Discursa para os trabalhadores e governa para os ricos. Informa estar empenhado nas investigações e tudo faz para obstaculizá-las ao nível do desespero.

Mas se algum bem se quer fazer a este país, deve-se buscar com afinco a trilha do dinheiro. Uma montanha de dinheiro como esta sempre deixa rastros facilmente detectáveis. E se chegará ao Planalto. Chegando a Lula, que se cumpra a lei. Temos, na Constituição, tudo previsto para circunstâncias desta natureza.


E o desarmamento?

Vejamos apenas uma estatística levantada pelo Movimento Viva Rio e pela CPI do Tráfico de Armas.

Estatística de homicídios por País

PAÍS
Por 100mil Habitantes
Domicílios com armas
Brasil
27
3,5%
Estados Unidos
6
52%
Canadá
3
30%
Itália
2
17%
França
1,5
24,5%
Suécia
1,5
15%
Suíça
1
35%

Fontes: Movimento Viva Brasil, Movimento Viva Rio, Instituto Superior de Estudos da Religião (Iser), Polícia Federal, CPI do Tráfico de Armas. Publicado pelo Jornal "O Estado de Minas" em 24.07.2005.


Números que incomodam

Cito ainda Cuba que, embora não conste do levantamento em questão, facilita e estimula a aquisição de armamento a toda a população para que possa defender-se de uma eventual agressão do gigante demônio do Norte. Em Cuba estão os menores índices de homicídio do mundo.

Independente da irracionalidade disso tudo, a campanha pelo desarmamento das pessoas honradas e de bem já está no ar há cerca de 2 anos e não há a menor dúvida de que, induzida, a maioria votará precisamente como o governo determina. Semana que passou divulgou-se uma “pesquisa” segundo a qual o número de homicídios por arma de fogo teria caído no Brasil devido à campanha pelo desarmamento.

Para acabar com a violência seria necessário ir muito mais fundo – por isso gosto do pensamento Radical, que vai à Raiz! –: melhorar o ensino público e gratuito; dar melhores condições de emprego e renda, principalmente aos mais jovens; redistribuir a renda na direção oposta da que Lula vem fazendo, passando a transferir dos mais ricos para os mais pobres, valorizar salarialmente os militares – particularmente os que atuam em regiões de fronteira – e a Polícia Federal, contratando novos quadros para reprimir o tráfico de armas, etc.

A continuar como está o Brasil seguirá sendo esta interminável e irracional fábrica de criminosos e cadeias.


(*) Procurem a mulher ou o dinheiro

Lázaro Curvêlo Chaves – 08/09/2005

 

 




© Copyright libertad-digital.com





Development Services Network Presence
www.catalanhost.com