Jefferson Cassado, Maluf Preso.
Dirceu e Delúbio continuam soltos

 

O discurso de Roberto Jefferson na Câmara no dia 14 passado, quando sua cassação foi votada, deixou claro que ele mesmo estava conformado com o fato – “sublimei meu mandato”, disse várias vezes – Despediu-se agradecendo às mulheres de sua vida: avó, mãe, irmãs, companheiras, filhas, assessoras, etc. Alfinetou Lula levemente informando que ele não gosta de trabalhar – o que não é novidade, chegou mesmo a cortar o dedo para se afastar do “trampo”... – e que “delegou demais” sem prestar atenção ao governo que, de fato estava sendo conduzido por José Dirceu.

Mas expôs as vísceras do Partido (dito) dos Trabalhadores. O que se chama de “campo majoritário” é um grande grupo de petistas que seguem cegamente os mandos e desmandos de José Dirceu e um magote de cinco ou seis czares. A auto-proclamada “esquerda” petista não passa de massa de manobra, conivente ou leniente.

Nunca antes neste país os bancos lucraram tanto. Nunca antes neste país se roubou tanto os cofres públicos, nunca antes neste país se praticou tanta corrupção. O PT inova em praticamente tudo, menos na política rapinante e entreguista, que segue elogiada pelo tucanato.

Jefferson foi cassado por quebra de decoro parlamentar. Quebrou o decoro por falar a verdade. E falou a verdade porque estava se vendo encaminhado à imolação pelo então poderoso Primeiro Ministro José Dirceu e decidiu cair, mas não calado nem sozinho! Praticamente tudo o que ele denunciou – sem provas – vem se comprovando, o que provocou queda de Ministros de Estado e a reformulação em toda a cúpula petista.


Pirotecnias

Há pouco a proprietária da loja “Daslu” foi presa dentro de um esquema teatral, seguindo um roteiro tipicamente novelesco. O mesmo ocorre com Paulo Salim Maluf e seu filho – que de inocentes não têm nem o aspecto, diga-se de passagem!

A estratégia do Planalto vai ficando clara: prendem-se alguns sonegadores ou corruptos conhecidos e até pouco tempo atrás aliados, para desviar o foco das atenções do principal. De onde vem a montanha de dinheiro que Marcos Valério usou para subornar parlamentares a mando da direção do PT, ou seja, de José Dirceu?

Ao invés de focar as atenções na corrupção de agora, na ladroagem e tentativa de tomar de assalto a máquina pública brasileira, a Rede Globo de Telealienação abre amplos espaços para cobrir a prisão da proprietária da Daslu e chega mesmo a infiltrar um de seus repórteres no episódio de entrega do filho de Paulo Maluf. Para aparecer “bem” no Jornal Nacional.

Mas a Globo não é boba. O povo brasileiro, em geral, assim tem se mostrado. O que cargas d'água levaria a empresa mais endividada do Brasil com BNDES, a maior devedora do INSS a, subitamente, fazer duas matérias, em dias subseqüentes? Na primeira deixava claro o envolvimento do irmão do Ministro Antônio Palocci num esquema de corrupção e caixa dois na campanha eleitoral de Goiânia. Na segunda demonstrava como o PT beneficiou uma até então desconhecida empresa seguradora fornecendo-lhe dados privilegiados.

Como entender que a Globo acenda uma vela para o diabo e outra para Deus? O barco está virando e a Globo quer se manter, seja lá o que for que aconteça com a política. Se o pêndulo ficar a favor de Lula, eles o inflam ainda mais. A partir do momento em que o pêndulo verga em direção diferente – esta a questão, não há um “diferente”, por enquanto há só o “contra”... – eles liberam matérias explosivas contra o governo a quem devem tanto dinheiro, na esperança de receberem tratamento ainda mais generoso do próximo, etc.


Dirceu e Delúbio imunes e impunes

O Ministro do Supremo Tribunal Federal Nelson Jobim, candidato a vice-presidência na chapa de Lula numa eventual reeleição, emitiu liminar suspendendo os efeitos dos pedidos de cassação de parlamentares denunciados ao Conselho de Ética da Câmara, num flagrante desrespeito e ingerência de um poder soberano em outro, contrariando, como acontece sempre nestes tristes trópicos, as teses de Montesquieu em “O Espírito das Leis”.

.Lula demitiu o competentíssimo Senador Christóvam Buarque de seu governo – por telefone – para conceder a sinecura de um Ministério, no caso o da Educação, a um dos derrotados nas eleições de 2002 e sem mandato parlamentar: Tarso Genro.

.Quando as denúncias de Roberto Jefferson se comprovam e tornam insustentável a manutenção da antiga direção petista, Lula desloca o mesmo Tarso para a presidência do PT – outra sinecura de não pouca monta ou importância, por sinal. Mas Tarso Genro entrou em rota de colisão com José Dirceu e perdeu. Lula perdeu um excelente ministro da Educação (Christóvam Buarque), o PT perdeu a oportunidade de “refundar o partido” seja lá o que for que isso signifique, Tarso Genro volta para o Rio Grande do Sul e José Dirceu está próximo de ser isentado de toda a sucessão de crimes e maracutaias que cometeu, graças à extensão da liminar de Jobim a todos os parlamentares “cassáveis” dentro do mesmo processo, o esquema do “mensalão” que existia mas, como normalmente acontece entre criminosos e corruptos, sem deixar vestígios gritantes.

.José Dirceu segue sendo o todo-poderoso comandante do campo majoritário, portanto do PT, portanto do governo Lula... Até quando? Até quando os petistas assim o desejarem – por ação ou omissão – e o povo brasileiro permanecer no marasmo.


E a Marilena Chauí, quem diria...

Uma filósofa outrora respeitadíssima no meio acadêmico e mesmo político comete dois erros numa única frase. Disse ela: “Nós fomos o principal construtor da democracia nesse país. E nós não seremos perdoados por isso nunca”. O PT foi “o principal construtor da democracia”? Não serão perdoados por “construir a democracia”?

A nobre colega foi de uma infelicidade ímpar ao falar algo desta natureza...


Lula e o ridículo

No Peru, Lula foi saudado pelo presidente daquele país como o “heróico Sancho Pança”. Ao sair de lá e passar pela Guatemala afirma que foi certíssimo o PT pagar as despesas de seus familiares e amigos na festa de posse com o fundo partidário – dinheiro público, nosso, que constitucionalmente só pode ser utilizado por funcionários públicos no exercício da função – o que está longe de ser o caso de ex-namoradas ou genros de Lula...

Na ONU a vergonha nacional: um presidente suspeito de comandar o maior esquema de corrupção da história do Brasil, responsável pela maior distribuição de renda dos mais pobres para os mais ricos – ampliando o fosso social, a miséria e a fome – ergue-se e, em discurso inflamado conclama a que todos aqueles que viajam de avião sejam taxados em US$ 2,00 por passagem “para acabar com a fome no mundo”. Esta proposta parte de um cálculo errado, inexeqüível na prática e vem de um homúnculo, um anão moral, a pessoa enfim com menos autoridade no planeta Terra para fazê-la.


Números, números, números...

O grupo terrorista COPOM decidiu-se por manter as mais elevadas taxas de juros do planeta Terra reduzindo-as em pífios 0,25%. A segunda mais elevada taxa de juros do mundo é a da Turquia, 7,5%. A nossa é de inimaginavelmente gigantescos 19,5%, ampliando ainda mais o lucro dos bancos e jogadores e a pobreza dos miseráveis. E os órgãos oficiais de pesquisa apresentam números que comprovam cabalmente estarem os salários em alta, a inflação controlada e os preços em queda. Só que, independente dos números, economistas e macroeconomistas, a merda continua a mesma: a cada mês recebemos o mesmo salário, cada vez mais desvalorizado e temos de pagar cada vez mais para comprar menos coisas.


Plebiscito sobre o desarmamento

A campanha contra o comércio de armas de fogo no Brasil está avançada e já dura mais de 2 anos. Não acredito que alguém tenha qualquer tipo de dúvida sobre qual será o resultado. Pessoalmente sou contra. Penso que se deveria trabalhar na direção de melhorar a formação social do brasileiro, do berço à Faculdade, chegando ao mercado de trabalho. E combater o tráfico. Começar desarmando aqueles que compram armas registradas e as sabem utilizar para sua legítima defesa não me parece o melhor caminho. Com tudo isso não tenho a menor dúvida que pelo menos 80% das pessoas votará pela proibição do comércio de armas de fogo nas lojas do Brasil. O mais desagradável é eu ter de sair do conforto da minha casa e ter de entrar numa fila descomunal a fim de participar de uma farsa na qual não acredito. Quando teremos por aqui o voto facultativo?


E o Severino?

Um cadáver político. Falta definir duas coisas: a data do sepultamento e quem o sucederá. Se alguém alinhado ao planalto, a pizza segue em frente. Se um opositor do Planalto, há a hipótese de um processo de impeachment contra Lula – que já cometeu um sem-número de crimes de responsabilidade – ser encaminhado rapidamente.



Lázaro Curvêlo Chaves – 15/09/2005

 

 




© Copyright libertad-digital.com





Development Services Network Presence
www.catalanhost.com