Confusões Diversas

 

Lula não sustenta em pé o que promete sentado

Mal o Bispo Dom Frei Luiz Flavio Cappio aceitou a promessa do governo de adiar o cronograma de obras de “transposição” do rio São Francisco e o próprio Ministro Jacques Wagner voltou atrás e disse que “não se falou em adiamento”. Ciro Gomes – que deveria ter tratado deste assunto pessoalmente – afeta não saber de nada e reafirma o cronograma: as obras começam em novembro.

Tropas do Exército já estão em Cabrobó e o governo já gastou mais de R$ 12 Milhões em aquisição de máquinas e ferramentas para o início das obras. Lula quer entregar pelo menos metade das obras prontas antes do término de seu primeiro mandato.

Por algum motivo, há dinheiro sobrando – R$ 7 bilhões – para uma obra polêmica mas não há sequer para a vacinação do gado, com grave prejuízo para a economia nacional.

Caso as obras sejam retomadas e tenham início, Dom Frei Luiz Flavio promete retomar o jejum com maior fé e vigor.


Esquerda, direita, corrupção e a história

Muita gente diz que a grande herança maldita de Lula da Silva é o fato de trazer para a esquerda uma coisa até então circunscrita às práticas da direita: a corrupção.

Não é bem assim. Num primeiro momento Lula levou o PT e o PC do B para a extrema direita, priorizando os ganhos de capital e aviltando o trabalho, mantendo contudo o mesmo discurso. Continuando a macaquear seu antecessor, partiu para o suborno do Congresso e hoje se percebe que o Partido (dito) dos Trabalhadores tributa ou tributava também as prefeituras (suspeita-se que governos dos estados em que está à frente e há três CPI's em andamento para verificar a ocorrência deste tipo de comportamento no governo federal) para, de qualquer maneira, desviar recursos para o Partido. O paralelo histórico é único: também o Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães (conhecido como Partido Nazista) assim procedia. E sobre ele não paira a menor suspeita de haver tido práticas de esquerda, embora as bandeiras vermelhas e aglomerações populares para ouvir discursos populistas fossem muito similar ao que a esquerda faz.


Discursos inflamados com ódio

Lula ficou conhecido por seus discursos inflamados contra o grande capital, o latifúndio e em defesa dos trabalhadores. No poder, segue com ódio e discursos inflamados: agora contra o povo brasileiro de maneira geral. Impressiona como tenta seguir a linha de seu antecessor. Antes éramos chamados de “fracassomaníacos” e “neobobos”. Já um cidadão que se orgulha de sua ignorância não perlabora tanto: fala em “urucubaca”, mas a acepção é a mesma. Quem faz oposição à política predatória e fratricida de seu governo, como o fazia pelo mesmo motivo em relação ao anterior, em seu delírio, “torce contra o Brasil”.

Estranho... Nosso país tem tudo para dar certo, mas essa raça de governantes direitistas, da Ditadura Militar aos dias de hoje, o tem impedido categoricamente. A raiz de nossos problemas está na priorização do capital, do pagamento de uma dívida impagável, na obediência canina a organismos privados estadunidenses.


Lula criticado pelo FMI: está arrochando demais o povo brasileiro

Aos poucos a gente vai perdendo até a capacidade até de ficar estarrecido. Alguém imaginaria que Lula faria um governo tão conservador e direitista que o FMI – sinônimo de demonologia e satanismo ultradireitista em todo o planeta – apelaria para que ele tivesse um pouco de clemência do povo que governa? Pois é. Lula está fazendo um governo à direita do FMI! Pratica um superávit primário acima daquele preconizado pela organização draconiana que o temor internacional é que o excesso de arrocho acabe por paralisar a economia brasileira – que se encontra em seu ritmo mais baixo de toda a história pátria.


Ainda o referendo

Referendo é uma consulta popular sobre assunto relevante para a comunidade. Eu alegremente participaria ativamente de referendos sobre temas como:

Voto Obrigatório – sim ou não?

Revogam-se os mandatos de todos os políticos eleitos em 2002 – sim ou não?

Taxação de Inativos – sim ou não?

Pagamento da dívida econômica ou da dívida social?

Transposição do rio São Francisco – sim ou não?

Aumentar os impostos para pagar juros elevados a banqueiros internacionais – sim ou não?

Transformar a CPMF de provisória em permanente e desviá-la da saúde para o sistema financeiro – sim ou não?

O referendo a que responderemos dia 23 é hipócrita: pergunta de maneira tortuosa se as pessoas com emprego e endereço fixo podem manter armas e munição – quem considera que não, deve responder “Sim”; quem considera que sim, deve responder “Não”. Bem na tradição brasileira de, além de trocar o foco de algo importante para um debate periférico, encaminha-o de maneira confusa.

 

Lázaro Curvêlo Chaves – 14/10/2005

 

 




© Copyright libertad-digital.com





Development Services Network Presence
www.catalanhost.com