Por que Lula será reeleito

 

Eu e você, que lemos jornais e revistas, que ainda conseguimos, a duras penas, acesso à informação dos fatos através da Internet ou das emissoras estatais da Câmara e do Senado Federal, nós que nos debruçamos e nos escandalizamos sobre os fatos, sabemos que há uma quadrilha governando o Brasil e só não tocaram no chefe (que, aliás, segue atuando nos bastidores com a mesma quadrilha que trará de volta após sua reeleição).

Eu e você sabemos que Lula prometeu governar para os pobres, mas está governando para os bancos. Sabemos que prometeu (por mais de 20 anos) fazer um governo em defesa dos trabalhadores e sua principal meta na reeleição será a destruição dos direitos históricos conquistados pelos trabalhadores. Sabemos que todas as estatísticas estão maquiadas para ocultar a verdade e que o nível de repetência estudantil no Brasil, mesmo depois que a “genialidade” tucana criou a figura da aprovação automática em alguns Estados da Federação Brasileira, tornando a repetência praticamente uma proibição legal como estratégia para maquiar estatísticas, com tudo isto nosso nível de repetência escolar é ainda mais elevado que o do Camboja! Recapitulemos esta passagem: o Camboja, desgovernado pelo Khmer Rouge nos anos 70 (há um ótimo filme sobre isso, The Killing Fields – Os Campos do Silêncio , ganhador de vários Oscar e disponível nas locadoras), exterminou todos os cidadãos portadores de diploma de curso superior por “suspeita de desvio burguês” e mesmo assim está hoje, embora capenga como todo o Terceiro Mundo, com um padrão educacional bem superior ao Brasileiro!

Eu e você sabemos que o Brasil teve o 2º pior desempenho econômico do mundo no ano passado. Somente o Haiti, estraçalhado por uma guerra civil interminável depois de os estadunidenses seqüestrarem e deportarem seu presidente para a África, o Haiti hoje ocupado por tropas brasileiras por ordem dos mesmos ianques ficou com o grande prêmio da máxima mediocridade econômica. Sabemos que estamos, em níveis sociais, comparáveis ao Gabão, Haiti e Camboja. Sabemos que, no quesito “crescimento econômico”, já fomos superados até pelo Paraguai, pela Bolívia, Peru, Quênia, Zimbábue e o Iraque esmagado sob a bota ianque há 10 anos! E que o desemprego, o subemprego e a desnutrição atingem proporções de calamidade pública enquanto a distância entre os poucos mais ricos e os muitos miserabilizados no Brasil cresceu assustadoramente (exata e milimetricamente ao contrário do que diz a propaganda oficial) no mais escabroso exemplo de prática de Robin Hood às avessas da história da humanidade.

A questão é que não somos nós – que lemos e acompanhamos o noticiário com interesse – aqueles que escolhemos quem irá presidir o Brasil! Mera aritmética: somos minoria. Seremos governados por aquele que for escolhido pela grande massa de miserabilizados e relegados à indigência intelectual e à sobrevivência da pífia esmola estatal. O voto no Brasil, não por acaso, é compulsório. Nós temos de sair de casa e participar da farsa, mesmo que nela não creiamos sob pena de perder direitos civis básicos como prestar concurso público ou sequer abrir uma conta bancária... Há um motivo para isso (falar que seria uma razão para isso implicaria algum nível de racionalidade e, como razão é uma coisa e o encaminhamento político brasileiro outra diferente fico com um substantivo mais pobre, contudo esclarecedor; motivo ), já estudado há décadas por Vitor Nunes Leal em Coronelismo, Enxada e Voto : quem é miserável e é obrigado a votar, sem a menor consciência política, vota precisamente em quem o obriga, naturalmente e sem pensar muito!

O interesse “dos mercados” em manter elevada lucratividade impede investimentos em educação (para citar o item mais gritantemente ligado ao que aqui constato com profundo desgosto) e está em conformidade com o interesse do governo petista-lulista, assim como o estava do governo tucano-pefelista: quanto maior a quantidade de analfabetos políticos no país, maior a sobrevida dos corruptos, lacaios do capital internacional, inimigos do povo e da verdadeira democracia.

Como o Lumpemproletariado semi-alfabetizado é quem decide eleições no Brasil, que não haja ilusões: Lula será reeleito. A menos que aconteça um milagre. Aí eu me apego a minha fé: Deus é brasileiro e Lula botou um cocar de índio na cabeça. Não permita Deus que o povo sofra mais!


Lázaro Curvêlo Chaves – 28/04/2006

 




© Copyright libertad-digital.com





Development Services Network Presence
www.catalanhost.com